Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

30
Mar15

Uns já cá estão; os outros vêm a caminho. (Profissão – 21)

Publicado por Mil Razões...

LaPecoraNera.jpg

 

Com um suave movimento de costas, Luís acomodou-se um pouco melhor na cadeira. Esticou o pescoço um pouco mais para a frente, para ver melhor aquele texto. Como assim ainda não resultava, inclinou o écran do portátil um pouco menos. Agora sim, tornara o cansaço de tantas horas de leitura de anúncios um pouco mais suportável. E recomeçou a leitura.

- Pois!... Onde é que eu já li isto?

Ouviu a chave a penetrar a fechadura. Olhou instintivamente para o canto inferior direito do écran.

- Dezanove e um. É Joana! Hoje chegou à tabela.

Luís continuou a ler. Joana continuou a entrar. Encontraram-se dali a instantes, na sala, junto ao portátil.

- Olá querido. Estás bem?

O indicador e o médio da mão esquerda dela saltitaram na cabeça dele.

- Hum!...

A cabeça dele abanou num sim de pequena amplitude, para não perder a linha de leitura.  

- Encontraste alguma coisa de jeito?

- Tudo sem jeito!

- Nada!? Nem unzinho? Nem uma aproximação?

- Para pessoas, nada. Só há oportunidades para seres alienígenas.

- Lá estás tu… Algum desses anúncios há de ser minimamente, mesmo que longinquamente, compatível com a tua profissão, com as tuas capacidades. Tornaste-te pessimista?

- Não, nada disso. E hoje cheguei a uma importante conclusão: estes anúncios não são escritos por pessoas, nem são para pessoas. É mesmo negócio de alienígenas.

- Mas os anúncios são, na sua maioria, escritos por psicólogos e técnicos da área do trabalho e das organizações, que trabalham nas empresas de recrutamento e seleção de recursos humanos. São bastante elaborados, do ponto de vista técnico.

- Se acreditas no que dizes estás bem enganada. Isto é de extraterrestres.

- Ok, vá lá, explana a tua descoberta, a tua tese.

- Se gastares um tempo a ler anúncios de emprego, sem preconceito, sem qualquer necessidade objetiva de conseguires um emprego e dessa forma ganhares dinheiro para a sopinha, como és uma menina esperta, logo perceberás que os anúncios são todos iguais. Se são escritos por esses psicólogos e técnicos que disseste, andaram todos na mesma escola, com os mesmos professores, com os mesmos livros e trabalham todos no mesmo sítio. Produzem quilómetros e mais quilómetros de anúncios, que a julgar pela quantidade, será mais a oferta de trabalho do que a sua procura, embora os números oficiais e aquilo que vemos, na rua, nas pessoas, seja bem o contrário. Mas a melhor parte é esta: quem é que estes imensos anúncios procuram? Seres que não existem nesta terra. Hoje consegui traçar o perfil do trabalhador que estes anúncios procuram. Se o encontrares, foge dele, que não é humano e poderá ser perigoso. Trata-se de um jovem, recém-formado, dinâmico e ambicioso, com espírito de iniciativa, com elevado sentido de responsabilidade, com boa capacidade de comunicação, de análise e de resolução de problemas, com facilidade de relacionamento interpessoal e com espírito de equipa, capaz de trabalhar sob stress, com carta de condução e viatura própria, e que simultaneamente tenha experiência profissional comprovada, disponibilidade imediata e que esteja totalmente disponível para a empresa, a qual lhe oferece integração em equipa jovem e dinâmica, possibilidade de progressão na carreira, contrato a termo, e remuneração atrativa dependente do desempenho, ou traduzindo, toma lá quinhentos euros e dá-te por satisfeito enquanto não voltas para a rua. Nunca ouviste falar de motivação, de satisfação, de precaridade, de envelhecimento da população, da necessidade natural de equilíbrio, estabilidade e segurança, de produtividade? E quem tem mais possibilidade de conseguir o trabalho, quem é? É aquele rapaz, desembaraçado e prestável que é irmão da amiga do primo da tia do sogro do amigo. É esse, exatamente, que para não deixar ficar mal toda aquela preciosa fileira familiar, fará tudo e mais alguma coisa, sobretudo na parte da capacidade de trabalhar sob stress. Joaninha, este país está um manicómio e na porta tem uma tabuleta onde pode ler-se: “Uns já cá estão; os outros vêm a caminho.”.

- Percebo que estás muito bem-disposto. E não sei porquê, mas a tua boa disposição deu-me fome. Não comias qualquer coisinha?

- Talvez, já que ofereces. E se eu me tornasse psicólogo ou técnico, desses que escrevem estes anúncios? Está provado que sei escrevê-los, está provado que sei a quem dar os lugares, está provado que sou bem-disposto. E deve dar bom dinheiro. Que achas?

- Melhor seria se tu fosses o patrão, o empresário, o dirigente, o gestor, o CEO, o qualquer coisa que lhes encomenda os anúncios.

- Para isso tenho excesso de habilitações. Humor acima do limite.

 

Fernando Couto

Imagem do filme La Pecora Nera (A Ovelha Negra)

 

Porto | Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Helena Rosa

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Calendário

Março 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Comentários recentes

  • Anónimo

    No tempo que é sempre o mesmo, o partir e chegar é...

  • Anónimo

    Diante da morte, diante de um suicida perante a mo...

  • S.

    Há o silêncio da sombra de duas pessoas falando.....

  • Alexandra Vaz

    Um abraço, de alma cheia. Beijinhos, Teresa.

  • Teresa Teixeira

    Sei tão bem disso. Sim, que escrever cura. Mesmo a...

Ligações

Candidatos a Articulistas

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde