Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

02
Set19

O artista e os imbecis (Humildade – 6)

Publicado por Mil Razões...

Acolá - Fernando Couto.jpg

Foto: Acolá - Fernando Couto

 

Paolo Zanarella é músico, pianista. Para alguns, muito bom, para outros, bom ou nem por isso, que isto do gostar é muito democrático. O que o distingue dos demais e o torna conhecido mundialmente é a forma de estar e de nos dar a sua música. Um pianista fora do lugar, é assim que se intitula e dá mote aos seus concertos. Leva o piano para as águas do grande canal em Veneza, para uma gôndola, um rio, montanhas, praças, suspenso entre dois prédios, e muitos outros lugares tão inesperados quanto os enunciados. Aí atua, dá asas a quem quer ser asado e elevar-se ao som dos seus acordes. Dispenso-me de mais delongas sobre as suas atuações porquanto, a quem interessar, poderá segui-lo na Internet. Não é o Paolo Zanarella, músico, que quero dar a conhecer, se refiro o seu lado artístico é tão somente para atentar no quão famoso é e de como isso não o eleva nem o coloca em cima de tamancos.

 

Cruzei-me com o Paolo Zanarella num dos seus insólitos momentos musicais. Desta vez o piano estava instalado no meio da ponte Pietra, no rio Ádige em Verona. Fato preto, cachecol branco, coluna ereta, posições relaxadas, querendo isto dizer, descontraído, as mãos levemente arqueadas. Era o Paolo na pose de pianista a percorrer os dedos pelo teclado num arranque de melodias de fazer parar os transeuntes. Parei também. Gostava do que ouvia. De repente, a música calara-se. Paolo parara de tocar. Levantara-se e falava com um casal que o abordara. De que falavam? Estariam aquelas pessoas a tecer-lhe elogios e ele, levantara-se para respeitosamente agradecer? O casal, turistas denunciados por um mapa aberto e, nessa qualidade, no gozo de liberdades reconhecidas a quem é de fora, queria saber que direção tomar para chegar ao castelo que se via no cimo da colina, mas sem estrada visível de acesso. O absurdo da situação teve a espantosa solicitude do artista que, com visível simpatia, os esclareceu indicando-lhe a rua que deviam percorrer, para de seguida continuar a fazer o que o tinha levado ali – tocar.

 

Se bem que, concetualmente, humildade seja vizinha próxima da cordialidade, respeito, simplicidade, ela é muito mais do que estas etiquetas impostas socialmente em nome de uma convivência civilizada. A humildade é a face visível da capacidade de nos reconhecermos e agirmos fielmente com o que sabemos ser. Nesta medida, a humildade é um exercício interessante que nos põe à prova todos os dias. É grande a tendência para nos descentrarmos do que somos e focarmo-nos no que esperam que sejamos, mas vale a pena contrariar esta tendência, por ninguém, por nós, para não cairmos em vaidades ou humilhações, riscos que não corremos quando sabemos o que somos e valemos, façamos nós o que fizermos.

A humildade de Paolo Zanarella pô-lo à prova publicamente, ele soube estar à altura e eu gostei do que vi, e do que ouvi, já agora.

 

Cidália Carvalho

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Porto | Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Marisa Fernandes

> Rui Duarte

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Calendário

Setembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Comentários recentes

Ligações

Candidatos a Articulistas

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde