Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

08
Fev16

O poder das softskills (Poder – 15)

Publicado por Mil Razões...

ChildPiedPiper-CirceDenyer.jpg

Foto: Child Pied Piper – Circe Denyer

 

O poder exerce-se através da capacidade de influenciar os outros, convencê-los que o caminho sugerido é o que melhores resultados proporciona para o todo. Ora este pressuposto demonstra que o ciclo do poder ocorre num ambiente que envolve um grupo de pessoas, havendo abertura para a criação de equipas se estas pessoas estiverem misturadas. É também mérito dos liderados conscientes, ao obedecerem aos seus instintos, que assim permitem libertar-se para outras funções mais produtivas.

O fator que equilibra o todo e a soma das partes é a liderança, pois esta articula as partes tornando-as, pelo menos, iguais ao todo. Esta é a equação fundamental da liderança num contexto e dimensão organizacional entendido como um conjunto de pessoas; a sua perceção e domínio prático permitem a todo o momento maximizar os resultados que se podem obter gerando sinergias positivas.

As redes sociais e/ou profissionais que congregam diferentes sensibilidade vincam melhor o papel de um líder sem título, chamado a perceber a dinâmica e o contexto motivacional, bem como o rumo que o veículo pode atingir. Até porque o líder é um bom artista, articulador das pessoas, suas ideias e objetivos organizacionais. O conhecimento profundo da orientação estratégica da organização mobiliza-o a ser um espetador atento às qualidades de cada elemento, de onde retira os requisitos e competências necessárias a um bom e efetivo desempenho, através dos instrumentos da comunicação, motivação e coaching.

 

O líder é didata e autodidata, sabe ouvir os outros, é entusiasta, sonhador, gosta de aprender por isso não tem medo de errar. É um dialético dissimulado, porém bastante oportunista e com sentido de orientação esclarecido. Aliado a isso possui um apurado sentido de grupo, coesão e solidariedade que o tornam altruista, eis a desnatação de um líder natural que sabe sacrificar interesses individuais em prol do coletivo, no prolongamento desta profecia augura a prevalência e vitalidade da sustentabilidade, dispensando o lucro imediato, qual ilusão no tempo e espaço.

A sustentabilidade tem um horizonte intemporal e um alcance de longo prazo, sendo percecionada pelos outros e beneficiando a todos, pois o líder trabalha uma marca atuando sobretudo nas linhas orientadoras e ideológicas. O papel do líder é executivo mas também pensador da organização, daí que a sua contribuição na organização ultrapassa o tempo efetivo de permanência nela. Isso torna o objetivo da sustentabilidade num interesse e propósito impessoal; é na verdade um efeito maio, impactando na criação de valor. O modelo tripé da sustentabilidade que assenta nos pilares transversais people, profit and planet (3 p) elucida eloquentemente esse conceito.

O impacto da liderança é aquilatado pelo sucesso de toda a organização, da micro à macro estrutura, mas também o sucesso da liderança é percecionado pela satisfação dos clientes internos. A liderança distingue-se das outras formas de direção porque ela é a extensão dos valores éticos e morais, conformada por um conjunto de valores e princípios que catalizam a criação de valor no processo de transformação da matéria em substância.

 

António Sendi

 

Porto | Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Helena Rosa

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Marisa Fernandes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Calendário

Fevereiro 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Comentários recentes

  • alguém

    " há duas razões para não termos confiança nas pes...

  • Anónimo

    Olá, Boa tarde.Gostei muito deste artigo.Rebeca Ma...

  • Anónimo

    M. Teixeira, a sabedoria está em encontrar o ponto...

  • Anónimo

    O que é muito significativo - quando se perde a Co...

  • Anónimo

    Socorro-me da sabedoria popular : cautelas e caldo...

Ligações

Candidatos a Articulistas

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde