Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

19
Jan15

Viver com medo (Racismo – 8)

Publicado por Mil Razões...

MulherCorrendo.jpg

 

Num final de tarde abrasador percorria nervosamente umas ruas sujas, virava freneticamente ora para a esquerda ora para a direita, preocupada apenas em permanecer invisível.

Apesar do tempo, vestia um casaco de manga comprida, tinha o capuz enfiado na cabeça, até aos olhos, as calças eram enormes e espessas, e nos pés, uns sapatos que espelhavam os milhares de quilómetros que tinham percorrido. Sentia-me a sufocar com tanto calor, escorria-me o suor pelas costas criando uma sensação de alfinetadas, à medida que me mexia, onde a fazenda roçava. Tinha a perfeita consciência que não poderia expor-me e olhava de soslaio procurando um sítio onde pudesse acalmar a sede que me queimava a boca, e repousar o corpo que começava a exibir sinais de uma rutura iminente. Mas para onde quer que olhasse sentia que havia perigo, tinha de aguentar a sede e o desconforto.

Não levantava os olhos do chão mas sentia o temor do que pudesse ver, seguia por onde me parecia possível, olhando para cada pedra e para cada pedaço de lixo como uma possível ajuda.

O meu coração batia tão depressa que o barulho estava a deixar-me surda e cada vez com menos força para seguir, seguir em frente, onde quer que isso fosse. Estava em pânico, muito perto do abismo, sem opções, encurralada, ali assim, sozinha e desamparada. O sabor a ferro na boca fez-me ganhar um pouco de força, ainda estava viva, o sangue ainda circulava nas veias...

Pensei em correr, mas estava tolhida de medo, não sabia para onde ir, tudo me parecia arriscado, violento. Senti que a dor me trespassa a alma, fugia, tinha de continuar a fugir, estava a ser perseguida há tanto tempo que perdera a noção. Passei a minha vida a fugir!

Tinha a adrenalina a percorrer todo o meu corpo dando-me energia para me esconder, continuar a fugir e, talvez, quem sabe, mais uma vez conseguir sobreviver.

O medo, o temor e o pavor percorriam o meu corpo como um choque elétrico e não aguentava as minhas emoções que explodiam em forma de vómito.

Sentia as lágrimas a escorrerem pelo rosto e, numa derradeira forma de revolta, tentei manter alguma dignidade e gritei, gritei o mais alto que podia. Pedi ajuda, que alguém me ajudasse e me tirasse dos braços daquele terrível pesadelo...

Mas continuarei a fugir, a esconder-me, a viver aterrorizada, por causa da cor errada da minha pele ou por causa da minha religião. Vivo com medo, e continuarei a viver com medo de morrer nas mãos daqueles que se consideram certos. A fugir de um inimigo cruel a quem não conheço o rosto, um inimigo invisível que pode ser qualquer um, basta partilhar os mesmos preconceitos.

Enquanto prevalecer quem julga que uns são e outros não, terei sempre medo e andarei sempre amedrontada, a fugir do racismo dos outros.

 

Susana Cabral

 

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Helena Rosa

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Miriam Pacheco

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Calendário

Janeiro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Comentários recentes

Ligações

Candidatos a Articulistas

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde