Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

27
Jul15

Viver à margem (Marginalização – 12)

Publicado por Mil Razões...

FakeTattoo-ShariWeinsheimer.jpg

 Foto: Fake Tattoo – Shari Weinsheimer

 

No grande livro da nossa vida, os dias que vivemos são escritos em páginas onde definimos aquilo que somos, o que fazemos e como o fazemos.

É nelas que demonstramos que a nossa vontade de fazer mais e melhor define o nosso caráter.

Nestas páginas descrevemos as nossas ações e personalizamos as margens da nossa essência. Quando aquilo que somos, a nossa realidade, a nossa essência é distorcida, estamos, sem querer, a viver numa mentira, numa ilusão ou fantasia. Desconfiguram-se as linhas traçadas por aquilo que é autêntico para nós e acabamos por não conseguir definir a verdadeira autenticidade.

Ao afastarem-nos daquilo que consideramos autêntico, legítimo, verdadeiro, sincero, aqueles que o fazem levam-nos a pensar que agimos de maneira diferente do que nos impele a nossa consciência. Acabamos por nos deixar influenciar por opiniões que nos levam a crer que aquilo que somos vai contra o que é definido como “normal”, ao padrão do que é aceitável, não só por nós mesmos mas pela sociedade.

É um afastamento forçado que confunde a autenticidade, a unidade da nossa essência e contrapõe as premissas legítimas da sociedade de que todos somos iguais. E, desta forma, acabamos por viver afastados daqueles padrões e caraterísticas que muitos consideram normais e o reflexo da verdade certa. Caraterísticas como cor de pele, estatuto social, etnia, condições físicas e psicológicas, que muitas vezes são díspares mas não menos autênticas.

Somos marginalizados pelos gostos pessoais, olhados de lado pelo piercing no lábio, postos de parte pelo corpo coberto de tatuagens… fecham-nos a porta a oportunidades por uma deficiência, queimam-nos vivos pela crença… fazem troça de quem é diferente, afastam quem se comporta… gozam, insultam, matam, ferem, magoam… marcam.

Cabe-nos a nós sarar as feridas… disfarçar as marcas… marginalizados??? Só e apenas se o deixarmos… não somos cópias baratas do que está na moda… não somos cópias baratas do perfeito e convencional… somos feitos de defeitos, de feitios, virtudes, traços, de personalidades… não somos cópias baratas, somos o original.

 

P. Melo

 

 

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Calendário

Julho 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde