Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

10
Jul15

Receio do diferente (Marginalização – 5)

Publicado por Mil Razões...

CasaSol.jpg

 

Não há muito tempo ouvi falar pela primeira vez da Casa SOL, uma casa que acolhe crianças de projenitores seropositivos. A Casa SOL não é como uma instituição tradicional mas antes como uma família – uma família unida, forte e confiante. Frequentemente, pessoas com este tipo de doenças – ainda que crianças que nasceram já doentes – são discriminadas e colocadas à margem. No entanto, pelo que ouvi da própria voz dos jovens de que falo, a vida que conhecem não é assim.

A Casa SOL foi pioneira em diversos aspetos da sua filosofia. Se exigiu esforço e muito trabalho? Certamente. Mas trouxe também enormes recompensas. Como crianças seropositivas que viveram toda a vida dentro da realidade de medicação constante, visitas a hospitais frequentes e cuidado rigoroso com a dieta e estilo de vida, poderiam ter-se sentido marginalizadas, postas de parte. Todavia, isso não aconteceu.

Segundo o testemunho que ouvi, a consciência, conhecimento e confiança tiveram um papel importante neste aspeto. Isto é: uma vez que, desde sempre, conheceram a doença que tinham assim como todos os cuidados e deveres a ela associados, não precisavam de ter receio e puderam transmitir esta mesma segurança àqueles que se cruzaram com eles ao longo da vida. Amigos, colegas, professores – sem medo, com confiança, integraram-nos em vez de os excluir.

Há uma tendência para afastar o que é diferente. Por medo, pelo receio do desconhecido. Parece-me que é também partindo desta tendência que tanta gente é marginalizada. Pela pobreza, por doenças ou deficiências – mas quando se ultrapassa a diferença, todos somos seres humanos. Trabalhando na compreensão do que nos é estranho, trabalhamos também na aproximação. Curando o medo e o receio (que, por vezes, nem são dos outros mas de algo que eles despertam em nós próprios), poderemos ir curando as feridas de marginalização da sociedade.

 

Isabel Pinto

 

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Calendário

Julho 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde