Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

27
Fev17

O silvo da chaleira (Grito – 5)

Publicado por Mil Razões...

Kettle-KenBoyd.jpg

Foto: Kettle - KenBoyd

 

Está no ponto. Percebe-se à distância que está na hora de colocar o chá na água fervente. Não precisamos de nos queimar nem de estar longos e pasmados minutos a olhar para a chaleira. Ela avisa-nos.

À distância sabemos, como ao longe o farol grita para o marinheiro, dá- lhe referências, orienta- o e permite-lhe evitar os perigos daquela costa.

Bons gritos.

 

Um berreiro, alarido, discussão descontrolada, feroz, animalesca, é sinal de má educação, falta de respeito, mais que descontrolo, tentativa de, pela força da voz ameaçadora, dominar, subjugar os outros.

Maus, péssimos, gritos.

 

Não devo, não posso ordenar, nem discutir à base do grito. O grito é estúpido, impede-me de ouvir, sequer de compreender o outro. Estou a ferver água e não tenho mesmo chá nenhum. Nem de pequenino, nem de crescidinho!

 

Sou confrontado pela tragédia pessoal, que cai sobre mim sem aviso, sem preparação, tem uma dimensão medonha, descomunal, desumana, impossível. Perco o chão, falham-me as referências. A dor é imensa, insuportável, terrível, funestíssima... Grito!

Grito humanamente, seja ou não em surdina. Choro e grito. Preciso de dar liberdade à dor insuportável e sem controlo.

Preciso de escape, para conseguir serenar e poder, depois, sofrer de forma socialmente aceitável. Pessoalmente aceitável.

 

Jorge Saraiva

 

2 Comentários

Comentar Artigo

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Calendário

Fevereiro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • Anónimo

    A realidade de tantos e tantos...

  • Teresa Teixeira

    Obrigada. É só o que me apetece dizer, agora. E nã...

  • Cidália Carvalho

    Rui Duarte, não peça desculpas por entender que o ...

  • Anónimo

    Exatamente! E esse respeito passa também por serem...

  • Anónimo

    Obrigado pela sua resposta ao meu comentário Teres...

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde