Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

01
Abr15

O resto da vida (Agora – 1)

Publicado por Mil Razões...

VelaArde.jpg

 

Agora sou quem sou! Sou o resultado do meu passado e este faz-me falta para perceber quem sou agora e, não seria quem sou, se não fosse o meu passado. Agora sou também aquilo que projeto para o meu futuro, o qual resulta do meu passado (experienciado) e do meu agora. Assim, percebo expetativas para a minha vida futura. Sérgio Godinho já dizia (diz) que “hoje é o primeiro dia do resto da minha vida”. Esta afirmação perspetiva futuro e passado. Futuro, porque hoje é o 1.º dia e, passado, porque o hoje é o resto. Assim, quando se diz “O resto da minha vida”, o futuro é analisado à luz do passado e do agora.

Ao passear na rua, no nosso trabalho, em nossa casa e em outros sítios, cruzamo-nos, muitas vezes, com a frase “o melhor será viver um dia de cada vez”. Tenho dificuldade em percebê-la; faz-me refletir sobre a vivência e a existência humana; confesso até que fico desapontada e triste… não percebo muito bem porquê; dizem-me que, pensando assim, serei mais feliz… será que me dizem para viver aquele dia com muita intensidade – viver o agora com muita intensidade? Colocar tudo no hoje? Como o faço se estiver mal com o meu passado e com o meu futuro?

Por outro lado, o agora, o hoje, não deverá ser avaliado como o “escuro que fica depois de se esgotar a luz de uma vela que desapareceu”. Cardoso (2010) ao falar de depressão realça que esta empurra para o fosso escuro da existência; está-se embaraçado, ancorado, emperrado na marcha para diante. O tempo íntimo (tempo que está dentro da pessoa) está parado, não é capaz de andar para a frente para acompanhar o tempo de fora, o tempo do mundo. Assim, não há passado nem futuro no agora da pessoa deprimida.

“Viver um dia de cada vez”; “hoje é o primeiro dia do resto da minha vida”… sinto-me bem quando percebo o hoje como o primeiro dia do resto da minha vida. Dá um sentido temporal à minha vida; dá um sentido útil ao agora, porque é o primeiro dia e, por ser o resto da minha vida, precisa de ser pensado para preparar o resto; o futuro. Assim, não me permite pensar que o “tempo do agora” é “o escuro que fica depois de esgotar a luz de uma vela que desapareceu”.

O agora parece-me ser um “sítio” de análise complexa. Será dificuldade minha…

 

Ermelinda Macedo

 

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Calendário

Abril 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • marta

    Uma pintura para a compaixão que este texto merece...

  • marta

    Um texto verdadeiramente Verdade...obrigada....e e...

  • Anónimo

    Oh, minha querida. Nunca saberei a dimensão da tua...

  • Anónimo

    Ana, deve ser tão difícil...a experiência de morte...

  • Paulo Das Neves

    Alucinante e envolvente...muito bom!

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde