Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

25
Abr16

Me, myself and I (Responsabilidade - 11)

Publicado por Mil Razões...

Balloons-CalinFdp.jpg

Foto: Balloons – Calin Fdp

 

A responsabilidade é uma das caraterísticas fundamentais que nos distingue, mais do que dos outros animas, dos nossos pares, porque convenhamos, ao longo da história de Humanidade, e ao longo da nossa vida, vamo-nos deparando com exemplos de (não) pessoas que agem como verdadeiros animais.

 

Ao meditar sobre este tema, percebi que tenho duas grandes responsabilidades que catalisam todas as outras responsabilidades intrínsecas a uma pessoa de boa índole e que sabe estar em sociedade.

A minha grande responsabilidade sou eu. Grande erro o meu que até há algum tempo atrás achava que a minha maior responsabilidade era criar o meu filho, com o todo o peso de quem cria sozinha uma criança, tomar decisões por dois, educar por dois, amar por dois, cuidar por dois, até que concluí que não estava a acertar… Era como se tivesse um balão na mão, preso por um fio, mas ao invés de lhe ir dando fio para subir no ar e baloiçar à música do vento, estava a apertá-lo de tal forma nos meus braços que, por sorte, muita sorte, não estoirou… Às vezes é preciso, simplesmente, respirar e esperar o melhor. Eu, no fundo, apenas posso ser a Mãe do meu filho e fazer o melhor que conseguir; e para fazer o melhor, para dar o melhor de mim, tenho que estar bem, tenho que olhar por mim, tenho que respirar, ter clareza mental para afastar os medos que me consomem os neurónios, e cuidar da minha saúde.

Da mesma maneira, só eu sou responsável por mim própria, pelas minhas decisões, perante mim e perante os outros, o que é suposto acontecer à medida que nos vamos tornando adultos. Todavia, na prática, isso nem sempre acontece, é sempre mais fácil responsabilizar os outros, chamar os outros à atenção, criticar - melhor dizendo, é bem mais fácil sacudir a areia do capote… Por isso, é minha responsabilidade não alimentar essa tendência, assumir os meus atos, as minhas decisões e as palavras que profiro.

 

Por outro lado, a maior responsabilidade da minha vida é não me sentir infeliz, ou pelo menos combater essa tendência. Não tenho que estar happy and shiny a toda a hora, mas tenho a grande responsabilidade de combater a infelicidade quando a sinto por perto, de perceber a sua origem para a debelar, para que não se infiltre em cada uma das minhas células, porque se isso acontece, é a miséria, o caos… e foi por lá que andei nos últimos anos.

Por isso, posso estar triste, porque a tristeza faz parte do ser saudoso, nostálgico e solitário que habita dentro de nós, mas infeliz não. Infelicidade é o caos, é regressar à escuridão, e isso eu não posso deixar acontecer comigo, já bastam os fatores externos que não posso controlar.

É claro que às vezes ainda aperto um bocadinho o balão nos braços com medo que o fio se solte e às vezes também estou ali um bocadinho com a luz a piscar, quase às escuras... Mas esforço-me para firmar os meus propósitos de responsabilidade comigo própria.

Sempre a aprender e a crescer, não é verdade?

 

Ana Martins

 

2 Comentários

Comentar Artigo

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Calendário

Abril 2016

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde