Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

11
Mar16

Desdobramento do Eu (Eu – 11)

Publicado por Mil Razões...

ManThinking-PeterGriffin.jpg

Foto: Man Thinking – Peter Griffin

 

No “Eu” de cada um de nós há sempre mais do que um “Eu”. O conceito de “Eu” não se reduz apenas a um só, uma vez que pode variar em função da realidade que o envolve, interior e exteriormente. Nessa perspetiva, podemos considerar, pelo menos, três tipos constitutivos do “Eu”, a saber: o material, o social e o espiritual. O material identifica-se com a realidade física do próprio individuo. O seu corpo, enquanto ente biológico, sempre o mesmo e sempre diferente enquanto existe, muda conforme determina a interação entre as predisposições internas, genéticas e as condições ambientais que formam o espaço em que o organismo vive. A condição de ser um organismo vivo impõe ao individuo alimentar-se, beber, repousar, reproduzir-se, enfim, o conjunto de atividades cuja finalidade é sustentar a continuidade de sua vida. Igualmente, é essa condição que obriga o “Eu” material a conservar-se, a proteger a sua integridade de condições nocivas, ambientais ou impostas por outros organismos. No “Eu” material inclui-se assim tudo que a ele é necessário, nomeadamente, as suas roupas, a sua casa, os seus bens e objetos pessoais. Quando, porém, exacerbado e excessivo, cioso da posse de bens e a eles agarrado com avidez, alimenta um sentimento de egoísmo do individuo. Daí a necessidade de refrear essa tendência, orientá-la para outros fins, se possível, altruístas, numa palavra: sublimá-la.

 

O segundo elemento constitutivo do “Eu”, considerado de índole social, como tal designado, tem a ver com a identificação do próprio individuo na comunidade em que está inserido e por esta aceite. A sua identidade como fator de reconhecimento na sociedade depende da aprovação, ainda que tácita, e das críticas a ele dirigidas no seio da comunidade. Se ignorado por pessoas a quem dedicava o seu maior apreço e afeição, pessoas tidas por importantes para ele, fica diminuído na sua autoestima. O mais específico do “Eu” social de alguém reside na mente da pessoa que ele ou ela ama. A ausência, ou a não correspondência de afetos, abala profundamente a identidade social do individuo. Os seus efeitos são avassaladores sobre um individuo que se vê confrontado com os sinais ambivalentes da pessoa que ama. No “Eu” social, também entram a fama, honra e desonra, como fatores que determinam e influenciam as decisões e atitudes do individuo, servindo de base, ou não, à reafirmação do seu status quo na sociedade. No “Eu” social podemos deparar com vários “eus” sociais, partes do mesmo “Eu”, consoante os grupos em que o individuo neles se integra, deles se afasta ou deles é excluído.

 

O terceiro elemento constitutivo do “Eu”, de caráter espiritual, deve ser visto como algo que reside no interior de cada indivíduo, que o envolve e que nele se reconhece. O “Eu” espiritual é sentido da mesma forma que sente o seu corpo, com a diferença de que é no seu espaço de intimidade interior que encontra a capacidade de refletir e a faculdade de se analisar interiormente. O “Eu” espiritual deve ser considerado como o ente interior, subjetivo, em que o individuo se reconhece, assim como reconhece as suas faculdades psíquicas. O “Eu” espiritual é sentido da mesma forma que sente o seu corpo, com a diferença de que é no seu espaço de intimidade interior que encontra a capacidade de refletir e a faculdade de se analisar interiormente. É através dessa análise que o indivíduo se conhece a si próprio como objeto pensado.

 

Os três aspetos constitutivos do “Eu”, aqui descritos, revelam a diversidade deste conceito, qualquer que seja a sua análise, segundo vários ângulos. Dá para pensar: quando o “Eu” pensa, nunca está sozinho, pois outro “Eu” sempre o acompanha.

 

José Azevedo

 

3 Comentários

Comentar Artigo

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Calendário

Março 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • Teresa Teixeira

    Marta. Esse seu comentário foi tão ao fundo da rev...

  • Aldina

    "Se é forçoso estar oculto, aspira-se a que nos de...

  • marta

    Os lábios da Sabedoria estão fechados, excepto aos...

  • Samuel

    … "não me coube em herança qualquer Deus, nem pont...

  • Cidália Carvalho

    Brutalmente fantástico!

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde