Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

27
Abr12

Estado de alerta (desEmprego – 8)

Publicado por Mil Razões...
 

Tememos o cancro, o enfarto de miocárdio, o acidente vascular cerebral, a escorregadela na casca de banana, os acidentes de viação, o atropelamento e fuga. Tememos pela segurança dos filhos, dos pais, dos amigos, pela exposição virtual, pela inevitabilidade da morte; tememos por antecipação e sofremos em réplicas sucessivas e massacrantes. Receamos uma série de inimigos. E como se já fossem poucos, juntamos-lhes mais um, com nome cínico e pomposo: desemprego (leia-se: desterro, dor, dúvida, desespero, drama).

Todos os dias ouvimos e lemos notícias a esse respeito. Todos os dias há alguém cuja vida se altera drasticamente pela perda do “ganha-pão”. Nos últimos tempos, em reuniões de amigos ou de família, tornou-se o assunto em cima da mesa. Há uma atração mórbida pelos temas nefastos. Há sempre alguém que conhece alguém, que conhece alguém, que está desempregado. Há sempre uma família que perde o seu chão em face do desemprego de um (ou mais) dos seus membros. Vive-se um estado de insegurança que aumentará exponencialmente. Não parece haver esperança suficiente que nos valha, o aconchego da mentira não existe em doses homeopatas.

O fantasma do desemprego materializa-se, entra pelas frestas da alma, e instala-se na vida de todos os dias, virando-a do avesso. Sofre o desempregado, a família do desempregado, os amigos do desempregado, os que temem vir a estar desempregados. Tememos todos o inimigo de colarinho negro e ar sisudo que ceifa qualquer um de nós, sem piedade. Uns matam-se, outros bebem, deprimem e/ou drogam-se, porém, outros ainda, veem nessa mudança imposta a oportunidade de começar de novo. De renascer das cinzas e descobrir novos caminhos.

No fim de tudo, da busca, do medo, da dúvida, emerge a ironia máxima das coisas: não interessa o que nos acontece na vida mas sim a forma como reagimos aos acontecimentos. Como os sentimos, pensamos, digerimos. É essa tríade – cognição, pensamento, ação – que pode mudar o dia de amanhã. Em doses suaves ou em golfadas repentinas.

 

Alexandra Vaz


Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Calendário

Abril 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • Anónimo

    A realidade de tantos e tantos...

  • Teresa Teixeira

    Obrigada. É só o que me apetece dizer, agora. E nã...

  • Cidália Carvalho

    Rui Duarte, não peça desculpas por entender que o ...

  • Anónimo

    Exatamente! E esse respeito passa também por serem...

  • Anónimo

    Obrigado pela sua resposta ao meu comentário Teres...

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde