Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

22
Fev11

O (amigo) permanecido (Amigos – 2)

Publicado por Mil Razões...

 

Ela tinha um irmão de quem não gostava. Tinha uma amiga que adorava. A amiga tinha uma cadelinha que era como sua irmã. Mais tarde, uma amiga disse-lhe que ela era a sua família, porque a sua família não lhe era nada, não sabia quem ela era, ao contrário da amiga.

Há laços que não se explicam como a amizade. Há ligações mais fortes que o próprio sangue.

Quando alguém nos é tão próximo, alguém em que podemos confiar, em que nos podemos apoiar, em que podemos ser nós, esse alguém é um amigo, não temporário. Esse, temporário, talvez seja um colega especial, mas, amigo é sim, alguém que permanece.

As amizades são relações. E toda a relação deve ser alimentada, senão não sobrevive. A amizade não foge à regra. Porque também esta está constantemente à mercê da mudança. Mudança das idades, dos contextos, da nossa visão da vida. Tudo isso se manifesta também numa relação de amizade. Por vezes, há choques. Nada é como foi. Nada. Mas, felizmente o que permanece, evolui.

Amigo, é alguém que dá sem esperar nada em troca. Pode ser amigo uma vez com outro. Mas eu falo de amizades verdadeiras que perduram. Essas não se fazem num momento, constroem-se. Podem, claro, surgir de um momento. Mas precisam de continuidade, histórias, contextos e partilhas, para serem continuadamente.

Os amigos são fundamentais à vida. À minha vida. Por vezes, são um bálsamo. Outras vezes funcionam como espelho de reflexão. Mas, sobretudo, brotam alegria em nós. A não ser quando partilhamos uma tristeza. Nessa altura, são como uma capa para a chuva que aquece.

Contar histórias de amizade não tem fim. Inúmeras as histórias que mostram a amizade verdadeira. Mas sentir amizade, é algo que não se conta. É difícil descrever. De explicar.

Por isso, amigo foi quando o tirou da rua. O cuidou. O alimentou. O abraçou. E respondeu-lhe o outro, cuidado e alimentado, em termos de lealdade. Ficou. Permaneceu. Até ao fim, viesse o que viesse. Ficou, o amigo.

 

Cecília Pinto

 

1 Comentário

Comentar Artigo

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Calendário

Fevereiro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde