Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

22
Fev11

O (amigo) permanecido (Amigos – 2)

Publicado por Mil Razões...

 

Ela tinha um irmão de quem não gostava. Tinha uma amiga que adorava. A amiga tinha uma cadelinha que era como sua irmã. Mais tarde, uma amiga disse-lhe que ela era a sua família, porque a sua família não lhe era nada, não sabia quem ela era, ao contrário da amiga.

Há laços que não se explicam como a amizade. Há ligações mais fortes que o próprio sangue.

Quando alguém nos é tão próximo, alguém em que podemos confiar, em que nos podemos apoiar, em que podemos ser nós, esse alguém é um amigo, não temporário. Esse, temporário, talvez seja um colega especial, mas, amigo é sim, alguém que permanece.

As amizades são relações. E toda a relação deve ser alimentada, senão não sobrevive. A amizade não foge à regra. Porque também esta está constantemente à mercê da mudança. Mudança das idades, dos contextos, da nossa visão da vida. Tudo isso se manifesta também numa relação de amizade. Por vezes, há choques. Nada é como foi. Nada. Mas, felizmente o que permanece, evolui.

Amigo, é alguém que dá sem esperar nada em troca. Pode ser amigo uma vez com outro. Mas eu falo de amizades verdadeiras que perduram. Essas não se fazem num momento, constroem-se. Podem, claro, surgir de um momento. Mas precisam de continuidade, histórias, contextos e partilhas, para serem continuadamente.

Os amigos são fundamentais à vida. À minha vida. Por vezes, são um bálsamo. Outras vezes funcionam como espelho de reflexão. Mas, sobretudo, brotam alegria em nós. A não ser quando partilhamos uma tristeza. Nessa altura, são como uma capa para a chuva que aquece.

Contar histórias de amizade não tem fim. Inúmeras as histórias que mostram a amizade verdadeira. Mas sentir amizade, é algo que não se conta. É difícil descrever. De explicar.

Por isso, amigo foi quando o tirou da rua. O cuidou. O alimentou. O abraçou. E respondeu-lhe o outro, cuidado e alimentado, em termos de lealdade. Ficou. Permaneceu. Até ao fim, viesse o que viesse. Ficou, o amigo.

 

Cecília Pinto

 

1 Comentário

Comentar Artigo

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Calendário

Fevereiro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • marta

    ...e o pesadelo continua...

  • marta

    Uma pintura para a compaixão que este texto merece...

  • marta

    Um texto verdadeiramente Verdade...obrigada....e e...

  • Anónimo

    Oh, minha querida. Nunca saberei a dimensão da tua...

  • Anónimo

    Ana, deve ser tão difícil...a experiência de morte...

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde