Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

02
Fev10

Acendedor de candeeiros (Virtudes – 1)

Publicado por Mil Razões...

 

 

Há almas que são natural e constantemente boas, ou seja, bondosas. Como a palavra indica, quase só têm sementes do bem dentro dos seus corações. Não quero com isto dizer que também existam almas que só sabem utilizar a maldade... Digamos que essas são almas sofridas...
A bondade é espalhada por aqueles que amam, que não pensam só em si, mas também nos outros, por aqueles para quem a felicidade só pode ser completa com o acto de dar: dar afectos, dar palavras de consolo, dar um olhar de preocupação, dar um prato de sopa, dar um abraço... enfim... dar uma semente que possa desabrochar em sorriso e esperança.
 
Não resisto a colocar aqui um excerto de uma grande obra – O Principezinho, de Exupéry: “Este homem é bem capaz de ser disparatado. Mas é bem menos disparatado do que o rei, do que o vaidoso, do que o homem de negócios e do que o bêbedo. Ao menos o trabalho dele tem um sentido. Quando acende o candeeiro, é como se fizesse nascer uma estrela.” É assim que considero uma pessoa bondosa no nosso mundo: um acendedor de candeeiros, ou de estrelas, um agricultor de sementes de esperança e felicidade, uma pessoa com o dom de fazer do outro um ser humano único e especial, porque foi notado, porque foi olhado, porque foi amado.
 

Ana Lua

 

3 Comentários

Comentar Artigo

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Calendário

Fevereiro 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • marta

    Uma pintura para a compaixão que este texto merece...

  • marta

    Um texto verdadeiramente Verdade...obrigada....e e...

  • Anónimo

    Oh, minha querida. Nunca saberei a dimensão da tua...

  • Anónimo

    Ana, deve ser tão difícil...a experiência de morte...

  • Paulo Das Neves

    Alucinante e envolvente...muito bom!

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde