Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

12
Fev16

Quero, posso, mudo? (Poder – 16)

Publicado por Mil Razões...

2 WomanReadingABook-PetrKratochvil.jpg

Foto: Woman Reading A Book – Petr Kratochvil

 

Falam de mudança. Dizem que se não estou bem assim, devo mudar. Mas mudar para onde? Para um outro estado no qual me sinta melhor. Mudar como? Terei de ser eu a descobrir como mudar. Mudar o quê? Tudo aquilo que eu queira e possa mudar para que a minha vida fique diferente.

E eu concordo. Se não estou bem assim, se não me sinto bem, se morro quando quero viver, terei de mudar, terei de estar bem, de me sentir bem. Entendo e concordo até ao fundo da minha razão. Mas como mudo? Como posso eu mudar? O fundo do meu coração não entende isto. Ele entende que estou mal, mas não sabe como mudar.

 

Acho que não posso mudar; não tenho poder para isso. É isso! Para mudar eu necessito de poder, de um poder de mudança. Mas agora, aqui, nada posso. Como consigo arranjar poder? Onde está? Quem o dá? Como o procuro? Como o recebo? Como trabalho o poder para aquilo que quero?

 

Vamos lá, eu ainda não sei se quero. Logo, não sei o que quero. Bem, querer, quero que toda esta gente se lixe, que vão para Marte, que desapareçam, que tenham aquilo que merecem e me deixem em paz. Isso, eu quero. Mas a mudança não deve ser isso. Então, para mudar é necessário querer e poder. E eu não quero, nem posso. Logo, nada feito.

 

E para quê mudar? As pessoas serão diferentes? A minha família passará a visitar-me? Os meus colegas de trabalho serão mais solidários e dialogantes? O meu chefe deixará de ser um ditadorzinho? Os meus vizinhos serão mais simpáticos e colaborantes? Não acredito. O que os faria mudar? Também não devem querer, nem devem ter poder. Estamos todos no mesmo barco, todos perdidos. Isso de querer e de poder é só para privilegiados.

 

Não me venham falar de mudança! Para isso tragam, numa mão o poder e na outra, o manual de instruções. Assim, sim, estarão a ajudar e eu saberei o que fazer. Assim já quererei e já poderei, já mudarei. Mas isso eles não fazem. Se calhar não podem…

 

Fernando Couto

 

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Bessa Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Miriam Pacheco

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Calendário

Fevereiro 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Comentários recentes

  • Anónimo

    Obrigada pelo seu contributo nesta empreitada de d...

  • Anónimo

    Uma pincelada de amarelo, pelo respeito de quem de...

  • Anónimo

    Mais um texto que mexeu comigo. Maravilhoso. Obrig...

  • Mil Razões...

    As redes sociais não são uma ajuda clínica. Quando...

  • Anónimo

    Tem algum grupo em alguma rede social para acabar ...

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde