Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

27
Out14

A receita do sucesso (Receita mágica – 12)

Publicado por Mil Razões...

Sucesso.jpg

 

Não existe receita mágica para se atingir objetivos ambiciosos, a fórmula do sucesso foi definida há muito tempo atrás e com recorrência temos assistido a tentativas frustradas de contornar essa lógica. Daquilo que se sabe e que de bom se pode colher dos eruditos é que o sucesso é resultado de muito trabalho, entrega, disciplina, método e atenção seletiva entendida como “foco no meio de estrépito indica atenção seletiva, a capacidade neuronal para nos concentrarmos apenas num alvo, ignorando ao mesmo tempo um mar ondulante de estímulos, cada um deles com um foco potencial", Goleman (2014).

O sucesso pressupõe um processo cíclico e organizado de gestão estratégica de recursos, âmbito e resultados, variáveis com forte grau de dependência entre si. As fases que compõem a consecução do sucesso obedecem, regra geral, ao seguinte faseamento: planeamento, organização, liderança e controlo.

O primeiro passo para o sucesso é definição de objetivos realísticos que possam orientar a nossa atuação presente, um guia e orientação clara sobre como agir no presente para alcançar nossas metas no futuro, de curto, médio e longo prazo. Consoante o horizonte temporal, mais complexos se tornam os objetivos definidos e específicas são as atividades operacionais, havendo alinhamento entre os objetivos de curto, que orientam para os médios e estes para os de longo prazo.

A segunda fase é organização que consiste, após definição de objetivos, na identificação de recursos e arrolamento de capacidade endógena e exógena, necessários para a formação de um veículo responsável pela administração das ações conducentes ao alcance do sucesso. Nesta fase aquilatam-se as capacidades existentes e de forma seletiva identificam-se os recursos críticos e indispensáveis e os que podem ser externalizados tendo em consideração, fundamentalmente, o sacrifício envolvido na contratação de recursos externos.

Uma vez definidos os objetivos e identificados os recursos, a fase posterior é meramente de articulação – designada de liderança, fase crucial e transversal a todos os níveis hierárquicos que pressupõe comunicação, motivação e responsabilização, assegurando uma efetiva coordenação dos recursos e que estes possam dar resposta aos objetivos que foram impostos.

A quarta e última fase é de avaliação sistemática dos resultados alcançados face aos definidos para avaliação de desempenho. Com base nas métricas definidas apuram-se os desvios e tomam-se medidas necessárias para assegurar eficácia e eficiência da nossa atuação face aos objetivos definidos.

Indagado sobre a receita mágica para o sucesso não se adivinha uma resposta fácil porém, é momento ímpar para iluminar, sem eliminar ou canibalizar, a vivência consentida pelo inquiridor, compensar a humildade demonstrada e preencher a necessidade de busca de modelos para a almejada receita mágica.

 

António Sendi

 

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • Anónimo

    A realidade de tantos e tantos...

  • Teresa Teixeira

    Obrigada. É só o que me apetece dizer, agora. E nã...

  • Cidália Carvalho

    Rui Duarte, não peça desculpas por entender que o ...

  • Anónimo

    Exatamente! E esse respeito passa também por serem...

  • Anónimo

    Obrigado pela sua resposta ao meu comentário Teres...

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde