Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

03
Set13

Informação e desenvolvimento intelectual (inFormação – 6)

Publicado por Mil Razões...

 

Estas linhas de reflexão livre e espontânea corporizam um retrato de experiências vividas em diferentes dimensões, com ênfase para a atividade de pesquisa, com intuito de contribuir para o enriquecimento do debate em torno deste conceito, antes, longe ser um tema acabado é um constructo em estado latente e constante evolução.

A reflexão objectiva, perceber o ponto de convergência e o grau de relacionamente causístico entre conceitos largamente aplicados e semânticos, tais são informação, formação e conhecimento. E a verdade, qual o seu posicionamento nessa trindade? A ciência como o instrumento racional da humanidade; qual o seu contributo neste debate? Estas e outras questões são as vertentes que irão orientar este percurso de análise imperfeito, diga-se, por deixar de fora algumas lides interessantes e imprescindíveis como a filosofia que deveria ocupar um lugar de destaque neste e outros debates, e ainda outros campos universais que queiram reivindicar a hegemonia deste(s) conceito(s).

Não poderia iniciar este artigo sem reconhecer que a informação é matéria-prima bruta da formação, ressalvando que o conhecimento resulta do processamento da informação através da inteligência - capacidade ou estado natural do ser humano quando pontifica a racionalidade, sempre que este conhecimento possa ser comprovado numa realidade e contexto próprio, tornando-o universalmente aceite.

O principal delivery da formação é o conhecimento, o denominador comum das diferenças resultantes da liberdade intelectual. Sem pôr em causa a democracia, o conhecimento é elemento central na mediação das dissidências através da emergência de consensos, ponto de inflexão para o almejado desenvolvimento intelectual. A condição primordial para a capitalização do conhecimento é a operacionalização de uma plataforma de geração e transferência livre de conhecimento. A este nível, a gestão do conhecimento figura como uma disciplina da gestão catalizadora do processo de reprodução, geração e disseminação do conhecimento. A vitalidade do conhecimento reside na sua ampla divulgação socorrendo-se das facilidades trazidas pelas TIC, onde a maior proeza dos agentes desse processo reside na participação ativa na advocacia e aplicação prática do conhecimento, este último estágio afigura-se crucial para a sua validação e retroalimentação em função do imprescendível feedback que obtém-se da interacção com as outras pessoas.

A consolidação da formação é um itinerário de longo prazo que consubstancia-se no compromisso com a descoberta, com a verdade que sendo ela infinita incita a renovação da formação, em ato contínuo proclama a independência relativamente aos hábitos e costumes até então vigente, ou até no limiar o conhecimento natural que pode não se configurar necessariamente em dogma.

A busca da verdade deve ser um ato contínuo, nunca um ato isolado, uma forma de ser e de estar. Esse comportamento enceta a rutura do (1) status quo, (2) da indiferença perante fatos e (3) da ingorância ou negação de sua própria existência. A intrusão da rocha é em si um ato de descoberta na crença de encontrar-se outra formação natural que não seja a litosfera, o inconformismo no seu ponto mais alto.

Se considerarmos que o conformismo não impulsiona o alcance da verdade genuina, então importa diferenciar duas dimensões ou estados do homo sapiens sapiens: aquele que detém quantidade ou qualidade de informação. Claramente a quantidade de informação não é sustentável a longo prazo, avaliado pela utilidade prática no processo de tomada de decisão. O elemento diferenciador destes dois estágios de desenvolvimento intelectual com impacto a nível comportamental do indivíduo é a maturidade da inteligência, que atua como filtro de retenção da qualidade de informação formando uma pessoa com ideias e crenças próprias, daí a preciosidade do capital intelectual ser um recurso único e diferenciador.

 

António Sendi (articulista convidado)


Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Calendário

Setembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde