Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mil Razões...

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

O quotidiano e a nossa saúde emocional e mental.

Destaque

Amigos do Ziki - Uma ferramenta para o pré-escolar.

01
Mar13

Vencer é resistir (Vencedores – 5)

Publicado por Mil Razões...

 

Na minha opinião, há dois tipos de pessoas: as pessoas que vencem e, bom, todas as outras. Há quem diga que é tudo uma questão de perspetiva, até porque vencer não é necessariamente chegar em primeiro lugar ou saltar mais alto. Há outras metas cumulativas que por vezes se atingem e que, por outras, ficam por atingir, tal como bater o record mundial de velocidade ou saltar alto sem recorrer a substâncias dopantes. Eu não concordo! Há, de facto, vencedores e vencidos. E esta dicotomia é absoluta, superior a qualquer referencial.

Vencer é a consequência de um conjunto articulado de atos. Mas é, também e antes de tudo, a projeção de um resultado e a engenharia daquele conjunto de atos. Movemo-nos sempre, em qualquer circunstância, no sentido de obtermos um resultado favorável. É uma questão de instinto. É uma caraterística que não nos distingue das outras criaturas. Todas as nossas ações, desde as mais simples às mais rebuscadas, encerram sempre a secreta ou declarada vontade de obtermos lucro e colhermos dividendos. E só há duas formas de perseguir esse objetivo: agindo e agindo de forma correta.

Se levantarmos um olho do nosso umbigo, conseguimos reconhecer imediatamente dois ou três vencedores: ou porque marcam golos, ou porque treinam bem, ou porque dão três saltos seguidos, ou porque representam bem o nosso ego lá fora, ou porque servem de extensão de nós mesmos, projetando a nossa ancestral e persistente vontade de obtermos sucesso, sermos reconhecidos e perpetuarmos o velho estigma de descobridores. Mas se levantarmos os dois olhos, identificamos facilmente uma mão cheia deles, que não só obtiveram sucesso fora do circuito bélico (do futebolístico e do puramente desportivo), como também é provável estarem bem perto de nós. Não me refiro apenas a excelentes cirurgiões, a lucrativos gestores ou a prodigiosos pensadores. O meu aplauso vai para todos aqueles que têm a coragem de fazer melhor, que se reinventam todos os dias no sentido de se despirem de hábitos inibidores do progresso, que concedem à lamentação o espaço e o tempo estritamente necessários, que arregaçam as mangas, que se importam e fazem a diferença.

Vencer é muito mais do que dominar, ultrapassar ou enriquecer: é resistir, insistir, aprender e superar. Vencer, mais do que numa competição com outros, é superarmo-nos a nós mesmos, é aprendermos com os nossos erros e acertos, é insistirmos as vezes que forem necessárias e é, sobretudo, a capacidade de resistirmos às dificuldades.

O que distingue o vencedor do vencido é mais a capacidade de resistência do que qualquer outra competência. Até porque a vitória é o produto acabado de uma série de derrotas intermédias - um golo só surge, regra geral, depois de algumas bolas ao lado. A derrota só acontece quando se desiste a meio caminho, sem que tenham sido esgotadas todas as hipóteses para se atingir a meta inicialmente traçada.

Na vida, no geral, os vencedores são todos aqueles que assumem objetivos, definem ações e se imbuem de uma dose industrial de resiliência. Esta última é absolutamente seletiva!

 

Joel Cunha


2 Comentários

Comentar Artigo

Porto | PORTUGAL

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Comentários recentes

  • Anónimo

    estou me sentido muito mal com td isso parece que ...

  • Fernando Couto

    Como se não nos bastassem os pesadelos criados pel...

  • marta

    ...e o pesadelo continua...

  • marta

    Uma pintura para a compaixão que este texto merece...

  • marta

    Um texto verdadeiramente Verdade...obrigada....e e...

Links

Amigos do Mil Razões...

Apoio emocional

Promoção da saúde